Total de visualizações de página

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Prefeito de Paracuru é preso em flagrante por porte ilegal de armas e afastado em operação do MPCE

Ministério Público do Ceará investiga fraude em licitação, associação criminosa e corrupção, praticadas por agentes públicos da prefeitura e empresários.
Por G1 CE
José Ribamar Barroso Batista (PSDB) foi preso na manhã
desta quarta-feira (13) - Foto: Divulgação
O prefeito de Paracuru, no litoral do Ceará, José Ribamar Barroso Batista (PSDB), foi afastado do cargo e preso em flagrante por porte ilegal de armas nesta quarta-feira (13) em uma operação do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE).
A operação, nomeada "Cascalho do Mar", investiga crimes de fraude em licitação, associação criminosa e corrupção praticados por agentes públicos da Prefeitura Municipal de Paracuru e empresários. O prefeito, servidores e secretários foram levados para prestar depoimento de forma coercitiva. Ao todo, sete pessoas foram presas.
O G1 encontrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Paracuru e foi informado que a gestão vai se posicionar por meio de nota após a operação.
Foram presos preventivamente um filho do prefeito e dois empresários. A chefe de gabinete e filha do prefeito, uma secretária municipal e um empresário foram presos temporariamente. Os presos foram encaminhados para o Centro de Triagem e Observação Criminológica, em Caucaia.
O MPCE cumpriu ainda medidas cautelares de busca e apreensão, condução coercitiva. Os mandados, expedidos pela desembargadora Lígia Andrade de Alencar Magalhães, foram cumpridos em Paracuru, Fortaleza, Tauá, Eusébio, Caucaia e Groaíras.

Agentes do MPCE apreenderam dinheiro, armas e munição
durante operação em Paracuru (Foto: MPCE/Divulgação)
Sete funcionários da Prefeitura de Paracuru e dois empresários foram levados para prestar depoimento no Fórum de Paracuru e também na sede da PROCAP, em Fortaleza.
Conforme o MPCE, estão sendo investigadas empresas do ramo de petróleo, transportes e construtoras. A operação contou com a participação de 28 equipes compostas por membros da Procap, do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), do Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc). Promotores de Justiça de Fortaleza e do interior e policiais civis e militares também atuaram.

A procuradora de Justiça Vanja Fontenele, coordenadora da Procap, informou que durante a operação foram apreendidas armas, munições e dinheiro. A procuradora acrescentou que foi identificado combustível adulterado em um posto da cidade. O material apreendido será analisado por equipes do MPCE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário