Total de visualizações de página

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Santanense que matou esposa com 48 facadas enfrenta juri popular



Está marcado para as 8h30min do dia 17 de agosto, no Fórum de Sobral, o julgamento do santanense Francisco Aécio do Nascimento, ele é acusado de matar a esposa, a professora Ana Soraia Silva Galdino, com 48 facadas. O Crime aconteceu no dia 31 de outubro de 2011, na residência do casal, no bairro Cohab 1 na cidade de Sobral. O acusado tentou se matar logo após o crime, mas foi preso em flagrante pela Polícia Militar. No local, além da faca utilizada no crime, a perícia encontrou uma carta deixada pelo acusado. O acusado está preso no presídio de Sobral.

O crime – Segundo a PM o crime aconteceu na residência do casal, situada na rua Zamenhof, 122 - bairro Cohab 1, em Sobral. O crime aconteceu de madrugada, segundo informações da PM, o acusado teria matado a esposa, no quarto do casal enquanto ela dormia. Foram 8 perfurações na região da nuca, uma profunda na garganta e as demais espalhadas pelo corpo da professora. Aécio teria ligado para o irmão da vítima e pedido para buscar a filha do casal, Ana Luiza, que estava dormindo no outro quarto da casa.
O CIOPS foi acionado juntamente com o SAMU que socorreu Francisco Aécio, que havia tentado o suicídio, provocando perfurações a faca pelo corpo, tendo deflagrado uma facada no peito e outra no pescoço. O Ronda do Quarteirão foi acionado e chegou na hora em que Aécio estava sendo socorrido pelo SAMU e deu voz de prisão, fazendo o devido acompanhamento ao acusado até a Santa Casa de Sobral para os atendimentos cabíveis.
O Comando do Ronda do Quarteirão deslocou policiais para fazer a guarda, e conduzir o acusado, após os atendimentos devidos.
De acordo com vizinhos, o casal vivia uma crise conjugal e que Aécio seria muito ciumento, mas que nunca presenciaram qualquer briga do casal. Uma multidão se aglomerou em frente a casa onde residia o casal. Familiares compareceram, muito emocionados, além de amigos de trabalho da professora, que pelas informações, era uma pessoa muito feliz, alegre, o que motivou várias mães, em frente a casa onde ocorreu o crime, gritarem por justiça, justiça...
Assista o vídeo da reportagem da TV Jangadeiro na época do crime.