Nosso Blog "Tribuna dos Vales" foi criado em 13 de novembro de 2016 e tem por missão fazer a difusão das lutas, conquistas, reivindicações, história e realizações dos municípios que compõem os Vales do Acaraú, Coreaú e Aracatiaçu (Importantes Rios da Região Noroeste do Ceará), bem como as principais notícias que marcaram o Ceará, o Brasil e o Mundo.

Total de visualizações de página

sábado, 6 de maio de 2017

Cantor Almir Guineto morre aos 70 anos no Rio


O sambista Almir Guineto, um dos fundadores do grupo Fundo de Quintal, morreu aos 70 anos nesta sexta-feira (5), no Rio de Janeiro, em decorrência de problemas renais crônicos e diabetes. A informação foi divulgada no perfil oficial do músico, no Facebook.
O músico, um dos principais representantes do samba de raiz, é autor de músicas como “Coisinha do Pai”, “Caxambu”, “Conselho”, Jiboia”, “Lama nas Ruas” e “Mel na Boca”.
Nos anos 70, o sambista fazia parte do grupo de compositores do Bloco Carnavalesco Cacique de Ramos, tocando com um banjo adaptado com um braço de cavaquinho, posteriormente usado por outros sambistas. No Cacique de Ramos, Guineto tocou junto com Zeca Pagodinho, Beth Carvalho, Arlindo Cruz, Jovelina Pérola Negra, entre outros.
No início dos anos 80, fundou o grupo Fundo de Quintal com os amigos Bira, Jorge Aragão, Neoci, Sereno, Sombrinha e Ubirany. Guineto, no entanto, deixou o grupo logo após a gravação do LP “Samba é no Fundo de Quintal” e seguiu carreira solo.
Com Jorge Aragão e Luiz Carlos compôs o clássico “Coisinha do Pai”, imortalizado na voz de Beth Carvalho. Em 1997, a música foi tocada em Marte para “acordar” o robô Pathfinder.
O sambista já estava hospitalizado há algumas semanas para o tratamento de uma pneumonia e de complicações de diabetes. Há 15 meses, no entanto, Guineto já estava se tratando contra problemas renais crônicos, o que o impossibilitava de assumir compromissos em shows e apresentações.
Almir Serra, o Almirzinho, filho de Almir Guineto, também é sambista e durante um ano cantou com o grupo Revelação.
O grupo Fundo de Quintal será o homenageado pela Mancha Verde no Carnaval de 2018 com o enredo “A Amizade, a Manche Agradece do Fundo do Nosso Quintal”. O Cacique de Ramos já foi homenageado em 2012 pela Mangueira, com um enredo sobre os 50 anos do bloco.
O corpo do cantor Almir Guineto é velado na quadra do Salgueiro, na Tijuca, Zona Norte do Rio, desde às 15h deste sábado (6). Coroas de flores de amigos e da família foram colocadas no espaço. Além disso, o velório tem fundo musical com composições de Almir Guineto.
Até o início da tarde de domingo o sambista recebe homenagens de amigos e parentes quando o corpo será levado para o Cemitério de Inhaúma, também na Zona Norte. O enterro acontecerá às 15h. A viúva do cantor, Regina Caetano, também está na quadra do Salgueiro
Os cantores Zeca Pagodinho e Jorge Aragão chegaram ao Salgueiro no início do velório e prestaram condolências à família. Eles se reuniram com Almirzinho, filho de Almir Guineto.
Emocionado, Almirzinho disse ao G1 que o pai já não está presente fisicamente, mas estará sempre espiritualmente. Ele disse que esse é um momento doloroso, mas sabe que vai passar.
" Meu pai foi um mestre. Ajudou muita gente. Ele estará presente sempre. Ele está vendo tudo. Ele conseguiu fazer com que sua obra se eternizasse. Toda vez que você ouvir um samba de Almir Guineto, você estará com ele", disse.

Fonte: UOL e G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário